14 novembro 2007

Chaconne d'harmonie


Baixo (com cifras) subjacente a todas as variações Goldberg. Não se ouve, não se vê, mas existe.

32 variações sobre um conjunto de 32 acordes baseado num padrão dividido em dois blocos de 16.


26ª variação (midi manhoso)

6 Commets:

Blogger alf said...

hummm... isto parece-me o código de uma proteína...

5:25 da tarde  
Blogger Izzi said...

Interessante :)
Nunca estudei estas variações e não as conheço todas. Ainda me falta saber muito de harmonia...talvez para o ano me dedique a isso. Sugeres-me algum livro sobre composição em bach?

6:12 da tarde  
Blogger Tarzan said...

Começa pela internet. Tem uma leitura mais acessível e menos técnica. Prefiro sempre essas:-)
Para te ser sincero não tenho nenhum livro que se debruce sobre as variações Goldberg do ponto de vista técnico. Os livrinhos dos CD's e a internet bastam-me.

Só tenho um livro de análise da obra para tecla (excepto obras de órgão).

10:08 da tarde  
Anonymous Me(ga)lómeno said...

A teoria é muito linda e até admito a beleza estética de uma partitura musical.
Agora...

Não seria mais simpático discutir esses pormenores enquanto se ouvem os ditos cujos concertos?

Há aplicativos que o permitem...

E concerteza gravações que sejam de domínio público

4:37 da manhã  
Anonymous Me(ga)lómeno said...

Peço perdão pelo comentário (a tecla de enter é manhosa)

Mas nunca apreciei muito as versões midi de obras musicais

4:44 da manhã  
Blogger Tarzan said...

Me(ga)lómeno

Concerteza que seria bem interessante uma análise mais didática e pormenorizada. O objectivo da opsta foi provocar curiosidade. Talvez um dia... Caso ainda não tenha dado com este site (que duvido) - http://jan.ucc.nau.edu/~tas3/goldbergcanons.html - poderá ver e ouvir a análise das variações canonicas da colecção Goldberg.
Quanto aos midis, concordo. Se tiver alguma sugestão de mp3 do domínio público, agradeço.

10:54 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home