23 novembro 2007

Orgulho ridículo

Nem de propósito. Como já tenho vindo a dizer à muito tempo aos orangotangos cá da minha selva, o conceito de orgulho gay, orgulho negro, orgulho nacional... é perfeitamente ridículo. Tal como é ridículo o orgulho heterossexual, orgulho branco, etc... Foi necessária uma campanha da Tagus - Orgulho Hetero - para que os gays e seus aguerridos defensores percebessem finalmente o ridículo em que caem quando é a vez deles (via Atlântico). Por cá, os orangotangos percebem logo à primeira. Como seria de esperar, já está armado o salsifré com muita bicheza ofendida com esta campanha retrógrada, reaccionária e homofóbica. A Tagus agradece.

PS: Posta recomendadíssima n'A Causa Foi Modificada

14 Commets:

Blogger /me said...

Se calhar convinha entender o que se quer dizer pela expressão orgulho gay antes de escrever destas coisas...

É que criticar conceitos que na realidade não se entendeu cai também no ridículo.

1:31 da tarde  
Blogger Tarzan said...

Em que é que eu não entendi o conceito de orgulho gay? Quer fazer o favor de explicar? Pode usar argumentos.

2:44 da tarde  
Blogger /me said...

Posso? A penúltima frase deste post tinha-me feito pensar que não.

Orgulho gay não é orgulho na orientação sexual. Não é orgulho em ser-se gay. Isso é simplesmente absurdo.

É sim orgulho em conseguir-se viver de forma coerente e consequente uma orientação sexual quando a sociedade é hostil à mesma. Ou pela negativa, é a "recusa da vergonha e da invisibilidade por parte das pessoas a quem estas são impostas em nome da exclusiva legitimidade da heterossexualidade".

Podes achar esse orgulho também é ridículo. Mas esse orgulho é, nas palavras doutra pessoa, a auto-estima necessária para ser capaz de enfrentar este tal mundo hostil. E não podes traçar um paralelo entre este orgulho e o orgulho heterossexual. Orgulho heterossexual, para além de palavreado de extrema-direita, é orgulho na orientação sexual. O que é estupidez, na minha opinião. Orgulho gay não é orgulho na orientação sexual.

Penso que não negarás que o mundo é hostil para as pessoas homossexuais.

4:12 da tarde  
Blogger Tarzan said...

«quando a sociedade é hostil à mesma»

Essa causa parece-me nobre. Pelo respeito da liberdade individual de cada um acho que vale a pena lutar. Pelo respeito pela diferença também.
Não acho é que a cena do orgulho seja uma ideia muito feliz, em particular no caso gay (http://www.richard-seaman.com/Wallpaper/USA/Seasons/ChicagoGayParade.jpg). Muitas lutas pela não discriminação, a diversos níveis, foram feitas e ganhas sem recurso ao "orgulho". Há formas muito mais inteligentes de o fazer, acho eu. Foi nessa linha que o post foi escrito.

«Orgulho heterossexual, para além de palavreado de extrema-direita»

Orgulho gay é palavreado de extrema-esquerda. Igualmente estúpido na minha humilde opinião.


«Orgulho gay não é orgulho na orientação sexual.»

Não estou certo que seja essa a mensagem que as associações gay estão a conseguir passar para fora. Mas isso sou eu...

4:42 da tarde  
Blogger /me said...

Hmm, talvez não seja a imagem que estão a conseguir passar para fora, mas é a mensagem que querem passar.

Discordo que orgulho gay seja palavreado de extrema esquerda.

A luta contra o racismo passou muito por um "orgulho negro", expresso por "black is beautiful". Ainda hoje se nota nas séries norte-americanas muitos resquícios desse orgulho...

Não percebi porque usaste essa imagem de uma parada gay carnavalesca. Eu antes era contra essas paradas, confesso. Aliás, sentia que me prejudicavam. No meu caso concreto, como tenho um comportamento "normal" (no sentido de me tomarem por heterossexual, de estar na norma), sentia-me irritado por ver aquelas aberrações a mostrar penas e a dar má ideia dos homossexuais, e logo também de mim.

Entretanto... aprendi que se tem de respeitar a diferença, e não se pode deixar ninguém para trás. As pessoas mais efeminadas, mais chocantes, até, não são menos que os outros. Não são certamente menos que eu. São diferentes, e têm direito a sê-lo. E não acho mal que forcem o resto das pessoas a aceitá-los. Todos merecemos ser aceites, desde que nos comportemos de forma ética.

4:51 da tarde  
Blogger Tarzan said...

«E não acho mal que forcem o resto das pessoas a aceitá-los.»

Pois eu acho. Prezo a razão e a liberdade e "forçar" é um conceito que viola ambas. E tenho as minhas dúvidas se será ético. No "forçar" (e note que não o interpretei à letra) é que está o problema, independentemente do lado da barricada em que se está.

5:15 da tarde  
Blogger /me said...

Hmm, forçar os outros a aceitarem-nos não lhes viola a liberdade. Não se deve forçar ninguém a gostar ou a aplaudir. A aceitar, sim. Ou condenas a revolta das pessoas de cor nos EUA como resposta à discriminação racial? Neste caso, esse forçar é apenas sair à rua vestido de uma forma exótica. Não me parece que viole nada. Nem a razão nem a liberdade.

5:18 da tarde  
Blogger /me said...

Argh, escrevi um comentário que se perdeu pelo caminho. Disse nele que não sou a favor de revolução. Não me parece é ser a mesma coisa uma pessoa ir vestida de roupas foleiras para meio da rua por um bom motivo (promover a tolerância) e uma pessoa fazer uma campanha que promove o orgulho hetero por motivos económicos.

Promover o orgulho hetero é fazer gozo do conceito de orgulho gay. Pior, é desvalorizar o sofrimento por que passam tantas pessoas homossexuais. Se este mundo não fosse em grande parte homofóbico, não teria mal. Mas é. E há muitos que irão interpretar o orgulho hetero como um apoio à sua pulsão homofóbica.

Se fosse num ambiente não homofóbico, achava a piada gira (e mesmo assim, acho-a gira, mas também perigosa). Mas neste mundo em que vivemos...

Não digo que a campanha deva ser proibida. Mas deve ser socialmente reprimida.

5:38 da tarde  
Anonymous Carioca de Limão said...

Descriminação é o que alguns activistas gays estão a fazer ao negarem a afirmação de uma outra comunidade. Ah já me esquecia, eles são a maioria logo «bico calado».
Fica aqui um anúncio que a Levi's fez para o publico gay na América. Descriminador???? E a tendência é para as marcas cada vez mais começarem a venderem para o público gay pois têm mais poder de compra, principalmente as marcas de luxo. Descriminador????

http://www.gayadnetwork.com/
http://www.us.levi.com/commercials/landing.jsp?version=2

4:30 da tarde  
Blogger alf said...

Estou a ver que o Alf vai ter de fazer um post no meu blog assim que o Jorge, o Tulito e suas pandilhas lhe derem um intervalozito.

Para analisar estas coisas convém entender algo sobre os instintos humanos.

Para já, desejo lembrar ao Tarzan que a homosexualidade, que já foi algo normal em sociedades bem mais avançadas do ponto de vista humano do que a nossa é hoje, sociedades da antiguidade evidentemente, se tornou perseguida em praticamente todo o mundo por influencia de ideias lamentáveis.

Em muitos paises hoje não há homossexuais ... são mortos assim que os descobrem; se recuarmos um século esse era o panorama geral em todos ou quase os paises ditos "civilizados".

Digamos que o "orgulho gay" é uma forma de combater a estupidez humana; do ponto de vista racional, pode o Tarzan argumentar que não lhe parece a melhor maneira; mas os seres humanos não são racionais, Tarzan!

Como tenho referido, a comuinicação ente as pessoas não tem a ver com a razão mas com o seu lado inconsciente. Qualquer político sabe isso, não é?

Também não me ofende as paradas do "orgulho hetero", desde que realizadas com humor - no fundo, representam uma aceitação tácita da homossexualidade. Isso seria impossivel na Arábia Saudita por exemplo, não é?

5:17 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É realmente importante perceber que a discriminação dos homossexuais é das únicas formas de discriminação aceites hoje em dia.
Não me parece que os paralelismos com a raça ou o sexo sejam corretos porque nestes é socialmente incorrecto discriminar, enquanto, em Portugal, não discriminar um gay é que é mal visto. E entendo perfeitamente a necessidade de um movimento de orgulho gay, pois alguém que é insultado diariamente necessita de assumir uma postura de combate, e é isso que também explode nas Gay Parade.
Sinceramente nao entendo qual o interesse de avaliar a homossexualidade como "doença" ou não. Obviamente não é doença, pois não tem aumento de morbilidade nem de mortalidade. Quanto a ser genético ou de infância...basta ver todos os cinzentos que há entre o branco e o preto, entre o hetero e o homo para tornar irrelevante a pergunta. Sinceramente acho que se as pessoas se preocupassem mais em minimizar o sofrimento porque os homossexuais passam na adolescência, evitar as piadinhas constantes, etc., faziam melhor...

5:40 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O anonimo acima era eu: Rodrigo :-)

5:40 da tarde  
Anonymous andré said...

Não tenho nada a acrescentar ao que já foi dito. Gostava ainda assim de deixar uma palavra de apreço ao \me, ao alf e ao rodrigo por tirem explicado com tanta fluência um assunto que não diz respeito apenas à comunidade gay, mas à sociedade em geral.

7:08 da tarde  
Blogger Range-o-Dente said...

Devia haver um feriado para se comemorar o orgulho bronco.

.

7:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home