14 dezembro 2007

Eu insisto



Isto do (renascimento do) orgulho russo ainda vai dar asneira. Não há nada mais perigoso que um povo que se sente humilhado. A história parece querer repetir-se.

4 Commets:

Blogger alf said...

Bem pensado.. e isto suscita-me o seguinte pensamento:

o estabelecimento de paises e do conceito do direito à independencia dos povos e soberania nacional permitiu que paises pequenos coexistissem com os grandes.

com o fim das fronteiras, estralhaçadas pela globalização, na política, como na economia, os mais fortes vão engolir os mais fracos.

Assim, estamos a assistir a uma corrida pela dimensão. Quem não crescer, desaparece. Transformamo-nos em Europa porque se continuarmos paises "países" vamos ser despedaçados; os que ainda não estão associados num grande grupo procuram desesperadamente consegui-lo - como a Turquia procura entrar na europa, os paises da América do Sul procuram uma Mercosul.

A Russia tem de organizar o seu espaço asiático antes que ele seja comido pela europa e pela china; porque, país a país, é isso que sucederá.

Quando a música parar, quem não tiver cadeira será eliminado.

1:52 da manhã  
Blogger Izzi said...

Interessante ponto de vista.

12:47 da tarde  
Blogger Jacinto said...

O VPV escreve hoje(domingo,16)sobre o assunto.
Simplesmente brilhante.

1:50 da tarde  
Blogger Range-o-Dente said...

Também me parece que a paranóia imperialista (talvez fora do sentido clássico) de Putin vai dar raia.

.

10:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home