07 dezembro 2007

Paranoid Humanoid


"Telemóveis associados a maior risco de cancro", diz no Público. Isto vai ser um bocado como a história do azeite. Agora prova-se que faz mal a isto, amanhã afinal já faz bem. Vocês vão ver. Amanhã descobre-se que o telemóvel ajuda a cicatrização de piercings manhosos na zona auricular. Engraçado como este fenómeno de paranóia das radiações nunca foi muito pronunciado no que toca aos microondas que, pela mesma ordem de ideias tem mais potencial para ser nefasto.

3 Commets:

Blogger alf said...

Uma coisa que eu já aprendi é o seguinte: sempre que se associa qualquer coisa a cancro é vigarice. A razão é que esta associação compensa - um estudo que chegue a tal conclusão é imediatamente publicado, garantindo curriculum para os seus autores. Além de servir para promover um qualquer interesse oculto, que pode ir de uma pecinha para diminuir radiações a uma vacina contra o "cancro".

Ninguém sabe o que causa o cancro, ou se o cancro é causado por causas externas à célula.

3:00 da manhã  
Blogger Range-o-Dente said...

A perigosidade das "radiações" é directamente proporcional à potência e à frequência.

Talvez se possa dizer que a 'potencia destrutiva' se calcula multiplicando a potência pela frequência.

Agora, pense-se nos caloríferos de infra-vermelhos ...

.

9:52 da manhã  
Blogger alf said...

range-o-dente

Essa é boa! E certa!

2:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home