11 maio 2007

Shut up and sing!

Ao ler este artigo no A Arte da Fuga, em que a artista Sheryl Crow faz uma proposta ecológica de limitar o uso de papel higiénico nas casas de banho a uma duas ou, vá lá, três folhinas no máximo, instalou-se-me a revolta. Sheryl Crow esquece-se de que ela tem a sorte, dada a sua condição de mulher, de não ter abundantes pêlos no traseiro. Logo, leva alguma vantagem competitiva na implementação de medidas ecológicas de tamanho arrojo. Pedia à Sheryl: Shery, pá! Tem pena aqui do homem. Não nos queres ver a fazer figuras destas no emprego, pois não?

É que três folhinhas não chegam nem para começar. E aqui no escritório não há bidés.

Já bem basta esta senhora, cuja identidade não revelo, (está descansada Teresa) tantas vezes ter de recorrer a este método e quase sempre com ajuda de entidades externas.

3 Commets:

Blogger AA said...

:D

7:48 da tarde  
Blogger alf said...

pois é! Como é que essa senhora se limpa? Será o gato?

1:23 da manhã  
Blogger Zé Ninguém said...

Dinheiro Fácil

http://absolutamenteninguem.blogspot.com/2007/05/taeg-no-sei-o-que.html

12:55 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home